ESG

Schneider Eletric envolve fornecedores e clientes em seu esforço de descarbonização

Compartilhe
Escute a participação de Laura Guaitolini

Empresa mais sustentável do mundo, de acordo com o ranking publicado pela publicação canadense Corporate Knights em 2021, a Schneider Eletric apresentou na Live Stream da plataforma Há Limites seus esforços para colaborar com o combate às mudanças climáticas. Uma iniciativa que envolve não apenas suas operações internas, mas toda sua cadeia de valor.

As metas da companhia de redução de gases de efeito estufa estão alinhadas com o objetivo estabelecido pelo Acordo de Paris de limitar o aquecimento global a 1,5°C na comparação com o período pré-industrial, disse em sua apresentação Laura Guaitolini, desenvolvedora de negócios na consultoria de sustentabilidade da Schneider Eletric. De origem francesa, presente em mais de cem países, a empresa oferece soluções de distribuição elétrica e automação.

Considerando apenas suas operações internas, a empresa estabeleceu três metas a serem atingidas até 2030. A primeira delas é dobrar a produtividade energética, o que significa fazer com a mesma quantidade de energia duas vezes mais do faz hoje. A segunda é eletrificar tudo o que for possível, o que inclui contar com uma frota de veículos totalmente elétrica até o final da década. E, por fim, garantir que todas as fontes dessa energia elétrica sejam renováveis.

Para reduzir as emissões fora de suas instalações, a empresa implantou o programa The Zero Carbon Project, que estabeleceu a meta de reduzir pela metade até 2025 a emissão de gases de efeito estufa dos mil fornecedores que mais emitem. A empresa também estabeleceu programas para reduzir as emissões de seus clientes, entre os quais está o Walmart e as dez maiores companhias farmacêuticas do mundo.

Em sua apresentação, Guaitolini lembrou que 900 milhões de pessoas no mundo não tem ainda energia em suas casas. Por isso a Schneider Eletric estabeleceu também a meta de levar energia renovável a 50 milhões de pessoas. No Brasil, esse programa existe há dez anose tem a meta de beneficiar um milhão de pessoas, a maioria delas na região amazônica. “A Schneider tem atuado de forma holística nesse tema de mudanças climáticas para que toda a nossa cadeia de valor consiga avançar junto conosco na sua jornada de descarbonização”, afirmou.

Carlo Pereira: “Há ainda muito a avançar na agenda ESG”

Artigo anterior

Atividades sociais da Wickbold incluem ações no Xingu e políticas de diversidade

Próximo artigo

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

O seu endereço de e-mail não será publicado.