CiênciaRadar

Estudo alerta para derretimento rápido do gelo no Monte Everest

Compartilhe

O aquecimento global está provocando o derretimento acelerado do gelo no Monte Everest. A geleira South Col, a mais alta da montanha (está a 7.906 metros acima do nível do mar), perdeu 54 metros de sua espessura nos últimos 25 anos. 

De acordo com a pesquisa, realizada pela Universidade do Maine (EUA) e publicada neste mês na revista Nature, o afinamento da geleira ocorre numa velocidade 80 vezes superior ao tempo que levou para se formar. O gelo que se acumulou durante 2 mil anos derreteu em apenas um quarto de século. 

Os pesquisadores alertam para as consequências do derretimento da geleira. Entre elas, a perda da capacidade de fornecimento de água para o consumo humano e para a agricultura. Hoje, mais de 1 bilhão de pessoas dependem da South Col para beber água e irrigar suas plantações. 

Os riscos de avalanche também aumentarão à medida que o gelo derreter, dizem os pesquisadores. Afirmam ainda que, com o aumento das rochas expostas, as escaladas na montanha mais alta do mundo (8.849 metros acima do nível do mar) podem se tornar mais arriscadas. 

Clique aqui para o estudo publicado na Nature 

Unesco pretende mapear 80% do fundo do mar até 2030

Artigo anterior

Aumenta desmatamento nas áreas públicas da Amazônia, revela pesquisa

Próximo artigo

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

O seu endereço de e-mail não será publicado.